sexta-feira, 4 de abril de 2014

O CRISTIANISMO É ANUNCIADO NA CAPITAL DO IMPÉRIO ROMANO

           


           Quando a evangelização alcançou os bairros de Roma, o imperador Nero autorizou perseguições cruciais à comunidade cristã a partir dos anos 55 (século 1), aonde chegou ao extremo de mandar atear fogo em seus arredores no ano 64, para culpar falsamente os simpatizantes do movimento cristão.


          Aqueles que aderiam aos sentimentos das idéias cristãs eram caçados cruelmente, e quando pegos pelas autoridades romanas eram queimados vivos nas praças públicas. 


          Muitos seguidores de Jesus foram levados aos circus que serviam de palco para distrair as pessoas, e ali eram submetidos a enfrentar leões famintos, sucumbindo esquartejados por essas feras em espetáculos dolorosos de insensibilidade e degradação humana.
         
         Os Cristãos não tinham direitos sociais e nem podiam se reunir para confessar publicamente suas crenças, pois eram punidos impiedosamente com sofrimentos atrozes até extinção do corpo carnal. 
          As perseguições aos cristãos foram movimentadas tanto pelo Sacerdócio politeísta dominante na época, quanto por parte das autoridades do Império Romano. Só para reflexionar essas atrocidades: Assim como Jesus foi traído, julgado injustamente pelo Tribunal Politico e Religioso e condenado à morte humilhante na cruz... Os seguidores mais íntimos do Mestre também foram execrados na praças públicas:

                Estevão foi apedrejado barbaramente pelos seguidores intolerantes do Antigo Testamento das Escrituras sagradas;


          Pedro foi crucificado brutalmente de cabeça para baixo nos arredores de Roma, a mando do Império Romano;

    Paulo foi degolado com ferocidade nas catacumbas de Roma pelas tropas do Império Romano;


         E milhares e milhares de cristãos mortos cruelmente nos circus de Roma, à luz do dia, com autorização pública do Império Romano.  

         
           Três séculos de tribulações intensamente cruéis às pessoas que simplesmente buscavam seguir uma doutrina de amor e paz vivenciada por um Messias celestial, que tinha ensinado e vivenciado princípios cósmicos:

            O amor a Deus, Espírito Criador de todas as coisas;

            O amor ao próximo como a si mesmo;

          A imortalidade da alma para além da morte do corpo carnal;

                E as bem-aventuranças celestes aos que suportassem as provações tribulativas da luta terrena com fé, com esperança, e amor no coração.
           
        Uma das tribulações mais cruéis da história foi organizada pelo Imperador Diocleciano no ano 305 d.C., que autorizou as Legiões Romanas incendiar do oriente ao ocidente todos os núcleos de pequenas congregações cristãs, mandando assassinar barbaramente milhares e milhares de famílias que professavam a fé em Jesus Cristo.


             Meados do século IIIO Império Romano estava em decadência moral. As pessoas não suportavam mais tanta barbaridade. Porém o Evangelho crescia na alma popular, e assim as classes dominantes de Roma passaram a ver com bons olhos o heroísmo dos cristãos em suportarem as cruéis perseguições com tanto amor pelas promessas da imortalidade da alma, para além das provações aflitivas da existência humana.


Voz Q Clama
Intensivo Difusão Espiritualidade Evangélica – I D E
Voz do espírito
http://voz-doespirito.blogspot.com.br/




Nenhum comentário:

Postar um comentário