terça-feira, 8 de abril de 2014

A VINDA DE JESUS





            As grandes verdades de Jesus descritas nos Evangelhos (boa nova) sob o véu de figuras de linguagem, em virtude de discernimento da capacidade humana em assimilar os mistérios espirituais; é que, após as provações que transcorrem com as TRIBULAÇÕES dos seus seguidores na luta material - Nenhum deles (os seguidores do Cristo) ficaria desamparado na vida imortal do espírito após extinção do corpo carnal (Mateus 16. 24, 25 a 28), porque essas almas heroicas que perseverassem fiéis até o fim em suas provações, suas almas seriam salvas das tribulações do além túmulo, SEM PASSAR PELO DANO DA SEGUNDA MORTE (Apocalipse 2. 11) ou seja: “expiações em corpo espiritual”, porque estariam amparadas pelos Anjos celestiais e conduzidas para o reino espiritual no seio invisível de Deus. Não é fato material e, sim fenômeno espiritual que ocorre nas dimensões da Vida Espiritual.
    E DESTA FORMA É QUE SE CUMPRE O ARREBATAMENTO ESPIRITUAL das comunidades cristãs, do círculo das provações terrestres para o seio imaterial da vida celestial, EM TODOS OS TEMPOS DA EVOLUÇÃO TERRÁQUEA, e sempre nos finais de ciclos de tribulações provacionais individuais, coletivas, e gerais.


          A vinda de Jesus aos seus servos para arrebatá-los da atmosfera de sofrimentos da vida terrestre, quer dizer: AS BOAS VINDAS que Ele, Jesus, dá as Almas dos seus seguidores nos Portais extrafísicos da Vida eterna, após a morte do corpo físico (Lucas 9. 27).


           Fiel é a palavra: "se MORRERMOS com Ele, também com Ele VIVEREMOS (II Timóteo 2. 11)". Vide situação aflitiva do ladrão arrependido na hora extrema de sua morte física na cruz, ouve de Jesus a palavra de esperança para a existência connua de sua Alma pós-túmulo: “hoje mesmo estarás comigo no paraíso” (Lucas 23. 42 - 43 )


            AFIRMOU JESUS: “Em verdade vos digo que não passará esta geração SEM que todas estas coisas aconteçam” (Mateus 24. 34) Figura de linguagem que se refere às TRIBULAÇÕES dos primeiros obreiros do cristianismo nascente, século I da era cristã.
      
             Se esperamos em Cristo nó nesta vida (material), somos os mais miseráveis de todos os homens... 

             E há corpos celestes e corpos terrestres... Se há corpo animal, há também corpo espiritual...

             A CARNE E O SANGUE NÃO PODEM HERDAR O REINO DE DEUS (I Coríntios 15. 19 a 50).
            
             O reino de paz e amor iniciado por Jesus ainda não pertence a este mundo (material)  - João 18. 36


          Apesar de nosso mundo, o planeta Terra, no plano extrafísico todo poder de direção espiritual ter sido delegado por Deus, a Nosso Senhor Jesus Cristo (Mateus 28. 18).
      A existência física na crosta planetária e todas as dimensões de vidas espirituais que se agregam ao nosso plano astral estão sob a égide e orientação do Cisto celeste.


             A todos aqueles que seguem a moral cristã com consciência, Jesus está preparando novos lugares de bem-aventuranças celestiais, a desfrutar nas infinitas moradas nas dimensões espirituais da Casa Universal do Pai Criador (João 14. 1 a 3). 
      

           Aparentemente apesar de não vermos Jesus com os olhos carnais, Ele está presente invisivelmente em nossas vidas participando interativamente, nos consolando nas lutas redentoras, nos inspirando pelo “poder do divino espírito”.


       “Estarei convosco todos os dias até a consumação dos séculos - Mateus 28. 20”. E o reino de Deus não vem com aparências exteriores (Lucas 17. 20 a 21). Nem dirão: “ei-lo aqui, ali, ou acolá”...
            Esse reino é uma conquista individual e interior, ou seja, é um estado de espírito que alcançamos quando completamos a medida e estatura integral do amor de Jesus em nossas vidas, quando nossa consciência espiritual desperta em nossas Almas os sentimentos divinos do Cristo de Deus - (Efésios 4. 13 Bíblia sagrada)

Voz Clama
Intensivo Difusão Espiritualidade Evangélica – I D E
Voz do espírito






Nenhum comentário:

Postar um comentário