sábado, 27 de agosto de 2011

DEZ FUNDAMENTOS DA MENSAGEM DE JESUS, Boa Nova Celestial


1) - Adoração a Deus, o Pai Criador em Espírito e verdade, ou seja: sem fórmulas, sem tradições, sem rituais exteriores e sem localização circunscrita. E sim, na intimidade do ser vivenciando a moral dos bons ensinamentos. 

2) O amor, a fraternidade, a paz, o perdão e o bem - elos de integração com a Divindade Celeste.

3) A fé, a esperança e a oração fontes de renovação e rejuvenescimento do ser. Ação, boa-vontade e trabalho suportes para o progresso. Praticar virtudes – o passaporte para a felicidade eterna.
                                   
                                                    
4) Libertação, salvação, cura e regeneração da alma dos males e aflições da provação humana.

5) Juízo, responsabilidade e discernimento – a cada um segundo as suas próprias obras.

6) Imortalidade da Alma; interação com os seres espirituais; e as múltiplas moradas (mundos) de existência nos planos celestiais.

7) Ressurreição - renovação do ser para nova existência na dimensão imortal do espírito.

8) Nascer de novo (reencarnação da alma/espírito) - renascimento do ser por meio da água (matéria) e do espírito (vida) a fim de alcançar a excelência da perfeição para o plano superior da existência celeste, a integração com o reino divino.

9) Advento Consolador através da assistência invisível do Espírito da Verdade, aos que seguem a moral da sua doutrina (Espírito da Verdade: unidade dos espíritos consagrados na verdade e que executam a vontade assistencial do Pai Criador em todas as dimensões existenciais nos Universos: físicos e espirituais).

10) Edificação do reino divino na mente e coração do homem, a fim de elevar a existência terrestre na hierarquia dos planos celestiais.    

Voz Q Clama
Intensivo Difusão Espiritualidade Evangélica – I D E
    Voz do Espírito
http://voz-doespirito.blogspot.com.br/
                                                                     

R e f e r e n c i a l: Bíblia Sagrada

Obs: os versículos bíblicos citados indicam a localização onde se enquadram os ensinamentos analisados à luz da revelação espiritual. Por exemplo, a ordem numérica, o título do livro informa o nome do autor, o capítulo é o ponto chave, e em seguida o versículo é sua centralização exata.

1)    João 4. 21 a 24; Mateus 5. 13 a16; Mt 7. 24 a 29;

2) Mateus 5. 16; Mt 6. 14 a 16; Mt 18. 23 a 35; Mt 22. 36 a 40; I Coríntios 13. 1 a 10;  I João 4. 7 a 21;

3)    Marcos 11. 24 a 25; Lucas 17. 5; Romanos 12. 2; Ro 12. 9 a 12; 1 Cor. 13. 13; Efésios 6. 16 a 18;  Mateus 9. 13;  Mt  23. 23; João 5. 17;  Mateus 5. 1 a 12; Mt. 6. 33;  I Cor. 13. 1 a 13;  Colossenses 3. 8 a 14; Gálatas 5. 16 a 26; Filipenses 4. 8;

4)   Mateus 10. 8; Mt 11. 28 a 30;  Mt 13. 15; Mt 18. 11 a 14; I Timóteo 2. 4;

5)    Mateus 4. 23; Mt 13. 43; Mt 18. 1 a 9; Mt 25. 31 a 46; João 5. 29; Jo 7. 24;  Efésios 2. 10; Galátas 6. 7 a 9;

6)    Mateus 17. 1 a  9;  Mt. 27. 51 a 53; Lucas 16. 19 a 31; Marcos 12. 18 a 27; João 14. 2;  Atos 9. 1 a 18; II Coríntios 12.  2; Hebreus 11. 3; I Pedro 3. 18 a 20; I Pedro 4. 6;

7)   Mateus 22. 23 a 33; Mt. 28. 1 a 10; João 11. 25 a 26; I Coríntios  15. 1 a 55;

8)    João 3. 1 a 8; Lucas 1. 1 a 17; Mateus 11. 7 a 14; Mateus 18. 7 a 9;  Hebreus 11. 35; I  João 5. 6 a 8;

9)  João 14. 16 a 17;  João 14. 26; João 15. 26; João. 16. 13;  João 17. 17 a 17; Atos 2. 1 a 13;  I Coríntios 12. 1 a 10; I Coríntios 14. 26 a 32; Hebreus 12. 7 a 10; Apocalipse 4. 5;  Apocalipse 5.  6;   I João 4. 1;                  
       
10) Mateus 4. 16 a 17;  Mt. 6. 33; Marcos 16. 15; Lucas 17. 21; Apocalipse 21. 1 a 8.





quinta-feira, 11 de agosto de 2011

A ENCARNAÇÃO DO VERBO, Boa Nova Celestial




            Consolidou Jesus: "Sai do Pai, e vim ao mundo; outra vez deixo o mundo e volto para o Pai" (João 16. 28)


             Jesus, espírito puro, desceu das dimensões celestiais da Vida Superior para revelar aos homens, na Terra, os princípios de amor que regem a criação de Deus em todo Universo (João 8. 23)(Colossenses 1. 15 a 16)

          - "Abrirei em parábolas a minha boca e publicarei coisas ocultas desde a fundação do mundo" (Mateus 13. 35)


          *Pense nisso: você sabia que Jesus tinha ainda muitas coisas  a nos dizer? (João 16. 12 a 13)

          Porém, estas revelações seriam nos séculos porvir atividades sob a orientação do Consolador - Espírito da verdade que procede do seio invisível do Pai Celeste, vejamos que é o próprio Jesus quem afirma: "o Espírito da verdade vos guiará e vos ensinará todas as coisas, porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que  há de vir" (João 14. 16; / João 14. 26 / João 15. 26 e João 16. 7 a 13)

         Espírito da verdade: unidade dos Espíritos puros (os Anjos do Senhor) integrados na obra universal do Pai Celestial (João 1. 51), e que revelam aos seres humanos os conhecimentos da Vida Espiritual imortalizada em Deus, preparando os novos tempos da evolução humana. 
        
          Na verdade vos digo: "vereis o Céu aberto e os anjos de Deus subirem e descerem sobre o Filho do Homem" (João 1. 51) - Ou seja, realizando as vontades de Deus.

          Aquele que se une ao Senhor é um mesmo em Espírito (I Coríntios 6. 17) (I Coríntios 6. 19 a 20)

         Provai os Espíritos se são de Deus ( I João 4. 1) - ou seja, estudemos, pesquisemos para sentirmos essas vibrações superiores da espiritualidade celeste e discernirmos o espiritual

         Em atitude de interação com o Pai Celestial, conclamou Jesus a todos os seus seguidores: "E dei-lhes a glória que a mim me destes, ó Pai, para que todos sejam Um, como nós somos Um" (João 17. 22) (Mateus 9. 35 a 38)  

           Deus é Espírito e importa que os seus adoradores o sirvam em Espírito e em verdade (João 4. 24)

          A vós vos é dado saber os mistérios do reino de Deus (estado de consciência espiritual), mas aos que estão de fora todas estas coisas se dizem por parábolas (Mateus 13. 11)

Os Espíritos do Senhor que são as virtudes dos Céus, qual imenso exército que se movimenta ao receber as ordens do seu comando, espalham-se por toda a superfície extrafísica da Terra e, semelhantes a estrelas cadentes, vêm iluminar os caminhos e abrir os olhos aos cegos. 

Dizemos-vos, em verdade, que são chegados os tempos em que todas as coisas hão de ser estabelecidas no seu verdadeiro sentido, para dissipar as trevas, confundir os orgulhos e glorificar os justos.
As grandes vozes do Céu ressoam como sons de trombetas, e os cânticos dos anjos se lhes associam. Nós vos convidamos, a vós homens, para divino concerto. Tomai da lira, fazei uníssonas vossas vozes e que num hino sagrado, elas se estendam e repercutam de um extremo a outro do Universo.

Homens, irmãos a quem amamos, aqui estamos junto de vós. Amai-vos, também, uns aos outros e dizei do fundo do coração, fazendo as vontades do Pai, que está nos Céus: Senhor! Senhor! e podereis entrar no reino dos Céus.

O Espírito de Verdade
Evangelho Segundo o Espiritismo/ Allan Kardec
  
Voz
Q
Clama
Intensivo Difusão Espiritualidade Evangélica – I D E







terça-feira, 2 de agosto de 2011

PRE-EXISTÊNCIA, Boa Nova Celestial





conscientizou Jesus: "Sai do Pai e vim ao Mundo, outra vez deixo o Mundo, e vou ao Pai" - João 16. 28

          Antes de Jesus nascer no planeta Terra submetendo-se à encarnação humana, e vivenciar a boa nova de amor e paz entre os homens, o Ser espiritual  de Jesus já existia.
     E, tinha atividade benfeitora no Universo da criação de Deus como espírito imortal e consciência divina na Criação celestial. Portanto, Jesus está presente no Antigo Testamento como o "Espírito do Senhor"

            Isso se chama preexistência 

           Logo, como admitir que a morte física de Jesus, no Gólgota, tenha ocasionado o caos do nada em sua memória espiritual, aniquilando a sua preexistência celestial! Isto é, interrompendo a sequencia existencial precedente à sua encarnação humana na crosta terrestre. Ora, se o mesmo já existia em espírito muito antes da formação do planeta Terra no contexto cósmico.
       E, conforme notifica a Ciência: o nosso mundo, o planeta Terra, foi formado há milhões de anos passados.

          Entenda-se, desta forma, que a ressurreição de Jesus depois do calvário, é apenas o véu místico das aparições espirituais além túmulo - fenômeno natural. 
                    
           Pense nisso: O que existe de real é a imortalidade plena do Senhor Jesus, descerrando a vida contínua em múltiplos planos existenciais do infinito: primeiramente nas dimensões irradiantes da vida celestial em Deus, depois na existência terrestre encarnado como Filho do homem; e, após o calvário no Gólgota, de volta aos planos superiores da vida celeste depois de concluída a sua missão redentora diante da humanidade terrestre - (João 16. 28),
        testificando a sua filiação na obra do Pai Eterno muito antes da formação de nosso sistema planetário, e dando-nos a esperança de consagração como nosso irmão mais velho na eternidade de Deus, o nosso Criador.


Referencial bíblico para meditação: (João 1. 1 a 14) (João  8. 23)( João 16. 28) (João 8. 56 a 59)  (João 17. 24) (João 20. 17) (Colossenses 1. 15 a 17)
     Você sabia que os Espíritos revelaram para Allan Kardec, na codificação consoladora do Espírito e verdade que, o Universo Espiritual pré-existe ao Mundo Material,
    A vida inteligente foi projetada pelo Criador dos Céus (entenda-se que Céus, quer dizer: Mundos), primeiramente no Cosmo Espiritual no meio dos fluidos espirituais irradiantes, e depois de eras incontáveis (eternidades), é que foi estruturada a existência no Plano Material sucedendo assim as encarnações das Almas nas crostas planetárias dos mundos físicos. 

       Neste raciocínio lógico a criança que está se formando em um ventre materno para nascer no Mundo das formas materiais, a existência essencial de sua Alma remonta muito antes a essa encarnação que está se desenvolvendo para vir à luz no plano carnal dos seres humanos.
  
Voz Q Clama
Intensivo Difusão Espiritualidade Evangélica – I D E
    Voz do Espírito
http://voz-doespirito.blogspot.com.br/