segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

NOVOS TEMPOS - Além do Plano Carnal




       A vida é força ininterrupta de Deus. 
   A vida existe nas dimensões espirituais muito mais intensamente que  nos planos materiais. 
     A Vida estável exuberante de atividade plena em harmonia e beleza é a que se vive nas dimensões espirituais superiores fora da densidade material.  
  A existência no planeta Terra ainda é considerada de nível inferior, por isso é que vemos a humanidade debater-se com quadros de sofrimentos variáveis. 
      Nos mundos superiores as criaturas vivem em harmonia mental consigo, com a Natureza, e com todas as criaturas semelhantes..
     Quando a humanidade terrestre conseguir elevar mentalmente as suas emoções com equilíbrio saudável dentro da ética cristã exemplificada pelo Divino Mestre, a alma humana despertará o Reino Divino em si mesmo nesses tempos porvir, que é um estado de espírito.
        E assim a existência na Terra nas eras do espírito subirá de nível e a humanidade ascenderá na hierarquia dos planos astrais habitados no Cosmos, nos aspectos: intelectual, moral e social.
        E a existência na Terra será considerada um paraíso celeste porque todas as forças positivas serão empregadas para o bem, o progresso, a justiça, a educação, a saúde, a fraternidade e a verdade que farão a felicidade perene da criatura.. 
   A miséria, a ignorância, a corrupção, a injustiça, a maldade, as trevas morais não terão mais espaços físicos na Terra.



  Deus abençoe as eras de luz porvir a desdobrar-se para nossa humanidade!
Voz Q Clama
Intensivo Difusão Espiritualidade Evangélica – I D E
    Voz do Espírito




domingo, 23 de dezembro de 2012

Discernindo o véu da REENCARNAÇÃO - Além do Plano Carnal




     “Olhos para perceber, sentir, e ouvidos para compreender”
     A reencarnação é atuação permanente sem cessar da Justiça e Sabedoria da Providência Divina, e que rege a evolução intelectual e moral dos seres espirituais para o plano eterno e perfeito do reino de Deus, que é um estado interior de aprimoramento dos sentidos da vida do espírito, criado à imagem e semelhança do Criador.

  Todos os seres espirituais partem praticamente do zero no intelecto e tendem alcançar o infinito celestial.
    A maior prova da reencarnação se manifesta nas diferenças de caracteres da personalidade humana. Não somos iguais no intelecto, no saber, no moral, nas tendências instintivas, nas provações. Apesar de estarmos revestidos da mesma matéria orgânica terrestre, e ser engrandecedor saber conciliar essas diferenças com entendimento fraternal cristão. Existe o que se chama na espiritualidade: "ascendência espiritual evolutiva - vide Missionários da Luz, André Luiz, psicografia Francisco Candido Xavier".

     Não vemos Deus com os olhos do corpo carnal, mas sentimos pelo pensamento a sua infinita grandeza nas obras da Natureza. 

   Quanto à reencarnação! Não se tem as lembranças vivas do passado espiritual na memória física da existência atual para não ocasionar compressões na consciência espiritual; mas se percebe os seus efeitos educadores nos reflexos das multiplicidades de provações intelectuais e morais dos seres humanos.

     Todas as ansiedades são focos imagens no inconsciente do ser, do sutil pulsar das existências sucessivas no plano carnal, até o ser espiritual alcançar a sua elevação espiritual para o plano celeste.
        A Reencarnação foi ensinada através dos tempos de diferentes modos: metempsicose, transmigração das almas, preexistência espiritual, vidas passadas, palingênese, nascimentos sucessivos e, finalmente - reencarnação.
     O modo mais simplificado é aquele revelado pelo Divino Mestre Jesus: “aquele que não nascer de novo não pode ver o Reino de Deus” Não te maravilhes: “necessário vos é nascer de novo”. Através da água (matéria orgânica) e do espírito (essência divina). 
        É uma necessidade natural passar pelos diferentes renascimentos nos planos material e espiritual para se despertar esse estado imaterial de unidade e interação com Deus. 

    As inibições intelectuais e morais, e entre esses estados d’alma incluem-se as enfermidades crônicas, que condensam provas físicas de que já vivemos outrora, na Terra, em diferentes reencarnações e aprendizados.
          Deus não deixa nenhuma de suas criaturas indefinidamente perecendo em abismos infernais, definiu Jesus: "melhor é, a criatura entrar na vida sofrendo deficiência, do que com todo o seu corpo ser lançada no inferno eterno (Mateus 18. 8, 9)"
         Se as bocas se calarem de proclamar as grandezas da Vida instituídas por Deus, “o Criador” - as próprias pedras clamarão.


     Senti em espírito na projeção mental várias revelações íntimas referentes à imortalidade da alma humana, à preexistência espiritual, às vidas sucessivas nas reencarnações dos seres espirituais no plano físico terrestre e, interação da vida que se desdobra em muitas dimensões extrafísicas do infinito cósmico.
        Jamais se deve colocar a luz debaixo da mesa e, simplesmente, ocultar as verdades dos ensinamentos bloqueando os tesouros do conhecimento celeste que Jesus descortina à nossa visão espiritual. 

      Esclareceu Jesus: “ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou o não trouxer; e ou ressuscitarei no último dia - João 6. 44.”  



    Para entendermos a grandeza desse ensinamento cristão – do renascer da alma nos fluidos orgânicos da matéria (água), apreendendo a plenitude da vida celestial revelado na Boa Nova no encontro particular do Mestre com Nicodemos (vide evangelho de João 3. 1 a 12), é necessário que a criatura busque a compreensão íntima, com imparcialidade e perfeição, da equidade da Justiça Divina que rege a programação dos seres criados à luz e sabedoria do Criador. 
Além do Plano Carnal 
Abrahão Ribeiro
Voz Q Clama
Intensivo Difusão Espiritualidade Evangélica – I D E
    Voz do Espírito


domingo, 16 de dezembro de 2012

Percebendo a REENCARNAÇÃO via Projeção Mental - Além do Plano Carnal




  Conscientizou Jesus: “Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas. Ainda tenho muito que vos dizer. Quando vier aquele Espírito de verdade, que vos guiará em toda a verdade, dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir.” (João 14. 26 e João 16. 12, 13)
     Apesar dos meus conflitos internos com alguns seguimentos doutrinários das assembleias pentecostais, me relacionava bem com as pessoas que formavam o Conselho sacerdotal da Igreja, especialmente com um daqueles que mantinha a posição de dirigente de estudos bíblicos. Trocávamos ideias sobre esses estudos onde ele tentava mudar os meus conceitos contrários aos dogmas do evangelismo pentecostal. 
 Certo dia, essa pessoa, casualmente acidentou-se e alguns movimentos do seu corpo ficaram por longo período como que prejudicados, tendo em vista a precariedade da medicina nessa época em nossa cidade (depois com os anos recuperou-se totalmente, mas ficou com leve sequela). Evito citar nomes para não causar acanhamentos.
     E, naquele sofrimento imediato essa pessoa demonstrava-se um pouco indócil a essa nova situação e fazia questionamentos a Jesus: sobre a razão dessas provações amargas em sua existência?
    Ele questionava e eu tentava agora consolá-lo, fortalecendo sua esperança nessa nova condição, e assim ficávamos confabulando sempre que tínhamos oportunidade de trocar pareceres sadios.
      Alguns dias após o incidente que causou a enfermidade  do colega da comunidade pentecostal:

     Estava em minha residência em meu leito calmo e desperto, e em atitude de meditação fazendo o meu relaxamento mental para conciliar o sono físico profundo, eram quase meia noite, quando sou sutilmente surpreendido por um estado de espírito de arrebatamento que enleva a minha mente dos sentidos físicos para o plano etéreo extrafísico, a fim de vislumbrar numa leitura dinâmica imagens ultrassensíveis que inspiram fortes impressões na minha consciência, tal a velocidade e nitidez de sugestões que essas imagens causavam em minha intuição espiritual.
     Quando aquela energia irradiou em meu sentido mental, tentei lutar contra a sua influencia; porém penetro suavemente na frequência da projeção mental consciente, e o meu pensamento adentra em outras vibrações sutis aonde entrevejo a formação instantânea de um grande painel transparente do tamanho de uma tela de cinema, luminosa e atraente, na qual eu percebi imagens e sentimentos reais e cheios de vida.
     E então conheci naquele tempo e espaço, dentro daquela operação maravilhosa, as cenas vibráteis da preexistência espiritual de fatos relacionados às vidas pregressas, nas encarnações terrestres, daquele companheiro que estava passando por  aquela provação de aperfeiçoamento consciencial.   
     Senti que a minha consciência estava sendo intuída pela irradiação de um Poder Superior invisível e que dirigia os meus sentidos para ler essas imagens mentais; caso não fosse, certamente não teria ânimo para prosseguir, e entreguei-me sugestivamente aos cuidados da presença imaterial de Jesus. 
                
     Vi perfeitamente aquele companheiro no seu sofrimento atual, percebi nessa leitura enérgica a intensidade de sua provação; de dentro do referido colega desdobrou-se outra imagem com caracteres pessoais idênticos e, vislumbrei por intuição que aquela outra personalidade se tratava da mesma individualidade espiritual em outra existência decorrida em tempos passados.
      Percebi os costumes do tempo, o meio ambiente, a maneira de se vestirem. E, entendi que eram cenas vividas na idade média em regiões lusitanas na qual aquele colega com uma posição de destaque na sociedade da época, e focado com entusiasmo extremado envolvia-se nas revoluções sociais desgastando as suas energias psicofísicas em embates com os povos vizinhos de sua região e chegando ao ápice de praticar atos rigorosos, e que pareciam habituais nesses períodos medievais, com as pessoas que não concordavam com seus princípios partidários.
     Apreendi os reflexos das ações em vidas passadas vivenciadas por aquele companheiro, porém me coíbo aqui de desvendar as particularidades claramente, mesmo porque aquelas cenas pertencem unicamente ao inconsciente daquela criatura, e que me fora permitido ler essas informações ocultas apenas para ajudá-lo naquele momento difícil a fim de conscientizá-lo que nada acontece por acaso, e que todas as coisas contribuem educativamente para o bem daqueles que crescem para a vida eterna em Deus.
      Conscientizei-me nesse desdobramento da lei do carma que fica no espaço gravado na subconsciência da alma através das existências sucessivas: “aquele que matar através da espada, necessário é que à espada seja morto; e se alguém leva em cativeiro, em cativeiro também irá, vide Apocalipse 13. 10 E Mateus 26. 52” –  
         Esta é a síntese da lei de ação e reação que condiciona o carma individual e coletivo, que sublima a paciência e eleva a fé que santifica. E louvei a sabedoria infinita de Deus que nos concede através dos tempos novas oportunidades de reajustamento para crescermos interiormente na virtude e no bem, e exercitarmos a compreensão, a paciência, a misericórdia, o perdão, e a paz com a nossa consciência e com as das pessoas de nosso relacionamento.
    Senti nessa projeção mental que somos espíritos imortais. E que o corpo carnal é apenas uma veste que funciona como uma máquina vital para aperfeiçoar o ser consciencial imperecível através de renascimentos sucessivos. 
       Estávamos questionando ao Criador sobre certos sofrimentos físicos e morais incompreendidos para a razão humana e, a Providência Divina revelou-me a lei das vidas sucessivas no plano físico carnal, na qual os seres espirituais se aperfeiçoam para a vida eterna no seio imaterial de Deus.
     Louvado seja Jesus! Que veio a este mundo expiatório para termos vida; e vida em abundancia (João 10. 10) em plenitude de paz, beleza e felicidade.
    Vinde Jesus! Em espírito, habitar em nossos corações e despertar o Reino espiritual em nosso ser (Lucas 17. 21)”, a fim de que nossas almas possa ser liberta dos ciclos das reencarnações purgatórias.  

    “Porque tudo que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a correção, corrução; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna. E não nos cansemos de fazer o bem, porque no devido tempo colheremos. (Gálatas 6. 7 a 9) Bíblia sagrada”.

Além do Plano Carnal 
Abrahão Ribeiro

Voz Q Clama
Intensivo Difusão Espiritualidade Evangélica – I D E
    Voz do Espírito






domingo, 9 de dezembro de 2012

SENTINDO A REENCARNAÇÃO - Além do Plano Carnal






  Mantenho nestes relatos o posicionamento de não divulgar nomes das pessoas para não constrangê-las em sua fé religiosa. 
     Desde o meu nascimento congregava-me em uma assembléia de evangélicos na fé cristã, herança de meus pais.
   Estávamos vivendo o auge do movimento Pentecostal no Brasil - transição dos anos 60 para 70.
    Os pastores e missionários evangélicos anunciavam com grande evidência a boa vinda de Jesus e o arrebatamento da Igreja, no qual os crentes na fé cristã seriam iniciados a receberem os chamados para entrarem nos portais eternos das moradas celestiais,

     e que a grande tribulação que marcaria a transição dos finais de tempos terrestres já despontavam nas paisagens do mundo, o ano  2000 se aproximava, trazendo grandes mudanças e renovações.
    E que toda aquela tecnologia que a civilização humana estava começando a desvendar no encerramento do segundo milênio para beneficiar utilidades da vida doméstica já era esse prenúncio anunciado conforme o livro do profeta Daniel – Bíblia sagrada, cap 12. 4 - “a ciência se multiplicará”.
       Grande verdade da espiritualidade que muitos desconhecem: todos esses esses benefícios da Ciência, antes de serem produzidos na vida material, já foram planejados no plano celeste da evolução terrena, pois fazem parte da marcha do progresso em todas coisas estabelecidas por Deus. 
    Muitos irmãos pentecostais nos advertiam sobre a vigilância nesses finais de tempos.
      Existia uma lista de proibições de coisas na sociedade que não se podia consumir, exemplos: assistir televisão, ir ao cinema, jogar futebol com os amigos; bailar, recreios em clubes sociais; as mulheres: usar calça jeans, cortar cabelo, depilar-se, usar batom, esmaltes nos dedos, tinturar os cabelos etc; porque senão o crente poderia ser excluso no arrebatamento extraordinário - do circulo das provações terrestres para o reino espiritual nas dimensões celestiais.
    Eu estava engajado nas pesquisas dos estudos bíblicos e fazendo perguntas íntimas ao Criador em minhas orações, para que, Ele, em sua infinita misericórdia, me revelasse se todas essas coisas que eu estava ouvindo na congregação Pentecostal e que até me causavam receios e dúvidas, se faziam parte dos Conselhos Divinos;
       ou se eram “figuras de linguagem” onde era necessário desvendar o “véu da letra” para se entender todo sentido espiritual?
   Usava nas minhas preces para obtenção das respostas as afirmativas recomendadas por Jesus, vide Lucas 11. 5 a 13: “pedi e dar-se-vos-á... buscai e achareis, batei e abrir-se-vos-á. Pois vós sendo maus sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai Celestial - o Espírito Santo àqueles que lho pedirem."
    Senhor da Vida! Eu quero saber a verdade racional, com lógica e discernimento espiritual sábio; e não somente conforme o entendimento da religiosidade de doutores bíblicos repletos de regras medievais.
    Naqueles tempos eu já estava discordando parcialmente de algumas doutrinas instruídas na Igreja, como por exemplo: a condenação eterna das almas padecendo sem misericórdia em abismos infernais. 
       A razão da discordância: como o Criador sendo perfeito e executor da Justiça com equidade condenaria por eternidade sem fim as suas criaturas que vivenciaram alguns sofridos anos na luta terrestre?
    E por que nós criaturas humanas imperfeitas tínhamos que perdoar até os nossos inimigos mais bárbaros? Enquanto o Criador em sua onipotência infinita não teria o mínimo de misericórdia com as criaturas perversas?
   Anos depois, certo dia, naqueles estudos bíblicos descobri algo que me deixou surpreso e que os evangélicos no final do século XX, às portas do terceiro milênio, não insistiam com tanto empenho nessas passagens: as promessas sobre o advento do Consolador, o Espírito de Verdade que viria esclarecer todas as coisas aos que têm fome e sede de conhecimentos da Vida, do Universo, da Justiça e das causas que regem os seres criados à imagem e semelhança divina.
      Agora já estava questionando com base bíblica, aos dirigentes de nossa Igreja, estas promessas da revelação dos novos conhecimentos que o Espírito de Verdade traria nos tempos futuros pós-advento do Cristo, vide João 14. 12 a 17/  João 14. 26/  João 15. 26/ e João 16. 12 a 13.

  Ensinou Jesus: “Ainda tenho muito que vos dizer. Mas, quando vier o Consolador, aquele Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade. E vos ensinará todas as coisas.”

Além do Plano Carnal
 Abrahão Ribeiro
Voz Q Clama
Intensivo Difusão Espiritualidade Evangélica – I D E
    Voz do Espírito