segunda-feira, 28 de julho de 2014

PORTA ESTREITA






 "Entrai pela porta estreita... (Mateus 7. 13 a 14)"
  “Nem todo que me diz Senhor!.. Senhor!.. entrará no Reino dos Céus...” (Mateus 7. 21)

O Reino dos Céus é o mais alto estado de consciência cósmica com Deus, é a vida eterna no seio imaterial nos Planos mentais de Deus, onde o ser consciencial passa a ser parte integrante desse estado feliz de Espírito puro como agente divino na Criação, desenvolvendo missões para a harmonia da vida universal no seio extrafísico da Natureza. Não é uma existência contemplativa em ociosidades; e sim, atividade plena como mensageiros de Deus, e estão livres das limitações da matéria, de espaço e tempo - vide "O Livro dos Espíritos/Allan Kardec, cap 1, ítens 112 e 113 e, "A Gênese/Allan Kardec" cap XI, itens 26, 27, 28
   É como se fosse uma promoção mental da natureza do espírito humano para integrar-se definitivamente ao seio natural dos Espíritos puros angelicais. Tudo nos reinos da Natureza segue um programa de evolução, e assim como a lagarta abandona o seu casulo e passa pela metamorfose, e se transforma em uma borboleta, da mesma maneira acontece no reino espiritual em todas as dimensões da vida inteligente, onde o espírito vai ascendendo no infinito celeste até que seu corpo espiritual (perispírito) resplandeça em irradiações da luz divina. Não se consegue esse estado de espírito em uma só encarnação planetária, por isso Jesus conscientizou a um Sacerdote da lei: "necessário vos é nascer de novo."  

Participar dessa natureza no seio divino somente é possível quando a consciência espiritual tiver totalmente purificada na sua essência criadora. Não adianta, portanto, apenas almejar o reino de Deus com aparências exteriores (Lucas 17. 20-21), sem no intenso do íntimo buscar desenvolver o bem divino, as virtudes celestes no amago do ser. O Mestre deu a eficácia: “pela árvore se conhece os frutos. E árvores boas produzem bons frutos (Mateus 7. 16- 20)".

Deus é a essência no bem em todas as coisas, é o Pai das Luzes (Tiago 1. 17). E para estarmos integrados com o divino temos que interagir com o bem na ordem da criação (Mateus 5. 16).

E aqueles que não conseguirem na encarnação terrestre a condição espiritual para essa integração completa com o reino divino (estado de consciência espiritual), após adentrarem o Mundo espiritual, estarão por acaso definitivamente apartados de alcançar a glória do plano de Deus?
   Não, de maneira alguma, se Deus é amor infinito, esse mesmo amor dará outras oportunidades, num porvir a transcorrer, em outros renascimentos no plano material (reencarnações) a desenvolver nas crostas planetárias, àqueles que sentirem essa necessidade de interação eterna com o divino nos planos da consciência espiritual, pois é o próprio Jesus que assim definiu na sua missão salvadora não excluindo as Almas sofredoras do além, fez questão de levar também o conhecimento da sua palavra consoladora aos espíritos presos (em situações expiatórias), os quais foram rebeldes a Deus em gerações passadas anterior à vinda do Cristo ao planeta Terra - vide I Pedro 3. 18 a 20 e I Pedro 4. 6

Somente existe condenação sem remissão no meio dos egoístas - questão 171, de "O Livro dos Espíritos/Allan Kardec". Com o Reino de Deus, a consciência espiritual aprende a buscar e trabalhar a perfeição,  pois a Justiça Divina é educadora. E esse aperfeiçoamento intelectual e moral se concretiza através de muitos aprendizados.

Não esqueçamos esta orientação: Na casa do Pai Celeste há muitas moradas (João 14. 2) Moradas planetárias nas mais diversas ordens e categorias de aprendizados para a glória da vida eterna. 
     E, somente se ingressa realmente nessas moradas para fazer parte como um habitante natural passando pelo nascimento normal, de acordo com as leis naturais que regem essas biosferas celestiais.

                              relato bíblico
                                 Mateus 7. 14-29

Voz
Q
Clama
        Intensivo Difusão Espiritualidade Evangélica – IDE








Nenhum comentário:

Postar um comentário