quinta-feira, 13 de novembro de 2014

O MILAGRE DOS PÃES





          “Grande multidão seguia a Jesus por toda parte, porque via os sinais que operava sobre os enfermos. E Jesus estava preocupado com a multidão: onde adquirir tanto alimento para saciar a fome daqueles que o acompanhavam? André comunicou a Jesus: está presente um rapaz que tem cinco pães de cevada e dois peixes pequenos. Mas o que é isto para tanta gente?
       E Jesus tomou os pães e havendo dado graças, repartiu-os pelos discípulos e os discípulos pelos que estavam assentados, e igualmente dos peixes quanto eles queriam (João 6. 1-14)”


       O homem guarda em si mesmo grande faculdade mental a desenvolver para o infinito, porém que jaz em estado embrionário. E, numa era ainda muito distante terá competência para movimentar com dignidade as energias espirituais que reinam no seio da Natureza. Assim como Jesus acionava com maestria esse potencial para o bem das pessoas.

“Se tiverdes fé todas as coisas te serão possíveis (Marcos 9.23).” E, concluímos: para as realidades da vida celestial em Deus. A nossa fé ainda é bem limitada, por não está ainda dirigida pelo amor divino que dá a harmonia em todas as coisas.

       Jesus repassava conhecimentos baseado na boa vivência, em uma ocasião ele realçou: “aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e as realizará maiores do que estas, porque vou para o Pai, e tudo quanto pedirdes em meu nome eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho”.

    O trabalhador das causas de Jesus tem que praticar o desprendimento na obra que está sendo coordenada, e que pertence ao Pai; pois para servir a Deus com amor temos que servir ao nosso próximo com fraternidade desinteresseira, sem esperar gratificações e recompensas humanas (Mateus 6. 19-21 E João  6. 27).
       Por isso é que não realizamos a obra de Jesus com a mesma qualidade que os Apóstolos dos primeiros tempos da boa nova a consagraram, pois não exercitamos os esforços constante em amar as pessoas assim como Jesus amava e servia. Mas, não vamos ficar tristes pela nossa inabilidade. TUDO é um aprendizado, as buscas para o Reino Divino são conquistadas de etapa em etapa, de aprendizado em aprendizado.
      Cada dia é uma oportunidade nova de iluminação e crescimento para Deus, vamos trabalhar muito o nosso lado espiritual no paradigma do Cristo: perdão, amor, fé, compreensão, tolerância, simplicidade, esperança, fraternidade, caridade, edificação sem sessar na intimidade de nosso ser, no bem e no belo. 


       Qual o processo pelo qual Jesus multiplicou os pães e os peixes?  O Mestre atuava na matéria fundamental do átomo e multiplicou o pão, assim como o homem hoje na atualidade, com os recursos da Ciência e da tecnologia processa uma cópia, uma xerox, uma clonagem.

         Jesus utilizava em elevado grau os recursos infinitos da Ciência de Deus, onde sob a sua vontade poderosa os Anjos do Senhor, que o assessoravam invisivelmente de outra dimensão, e o ajudavam a condensar as energias do seio da Natureza que estão em estado de fluidos virgem, e materializavam essas forças instantaneamente multiplicando as substancias alimentares tomando como modelo inicial a essência do principio básico do átomo dos dois peixes e dos cinco pães que alguém lhe ofertou naquele momento, e assim processou o milagre da multiplicação dos pães, saciando a fome de multidão de pessoas que o acompanhavam há dias.

     relato bíblico
 

João 6. 1-14


Voz
Q
Clama
Intensivo Difusão Espiritualidade Evangélica – IDE




Nenhum comentário:

Postar um comentário