segunda-feira, 27 de outubro de 2014

DEUS É VIDA SUPREMA





“Assim como o Pai ressuscita os mortos e os vivifica, assim também o Filho vivifica aqueles que quer” (João 5. 21)


   Jesus é quem faz o elo vivificador entre o Pai Criador e as criaturas em evolução, no planeta Terra (Mateus 28. 18) 

O Onipotente Pai detém o poder absoluto criador na criação universal e desperta, ou seja, ressuscita e vivifica os mortos independentemente de credo, de igreja, de religião, de filosofia, de partido, de dogmas, de bandeira, de cientificismo, de regionalismos. Deus é luz, é Vida, é Espírito, é Amor santificador...
    A ideia mais precisa de entendimento racional da Divindade Suprema Criadora do Cosmos é o sol benfeitor no sistema planetário que ilumina diariamente: santos e pecadores, sábios e ignorantes, fiéis e infiéis, virtuosos e viciados, éticos e imorais, íntegros e corruptos, justos e injustos, bons e maus (Mateus 5. 45).

Deus age na Natureza e a beneficia sem perguntar ao Ser criatura se o mesmo acredita ou não que Ele é o seu Autor soberano na Criação. Agora, se a criatura acreditar no Criador supremo nas causas da Natureza melhor é;
     porém, muito mais excelente é a criatura obedecer as suas leis magnânimas na Criação as quais Jesus simplificou-as em “amor a Deus sobre todas as coisas e, amor ao próximo como a si mesmo”

Quem labora dentro deste paradigma do “amor divino” certamente que, não irá contrair débitos pesados na consciência, que tem como consequência a implicação das reações purgatórias, ocasionando assim a morte no pecado, isto é: os efeitos expiatórios.

Assim como o Pai Criador ressuscita os mortos, Jesus como seu representante legítimo para humanidade terrestre, também tem o poder outorgado pelo Pai Criador de ressuscitar além da morte os servidores de sua causa, na Terra, isto é aqueles que acreditam e procuram se renovar na sua palavra compilada na boa nova do amor divino, e que se esforçam diariamente para ajustar-se no modelo de conduta moral vivenciado pelo Cristo de Deus -http://vozqclamabr.blogspot.com.br/2016/02/perante-jesus.html

Ainda bem que a humanidade tem a esperança sublime da ressurreição vitoriosa para a gloria da Vida eterna através do Pai Criador, e também por meio de Jesus o nosso Divino Mestre, que orienta a nossa alma para as grandezas do reino espiritual no seio imaterial de Deus, o nosso Pai celestial.

   - Não olvidemos que, quando Jesus estava falecendo os últimos fluidos da vida humana no alto do Gólgota, e para nos ensinar a morrer com a consciência voltada para Deus, Criador da Vida, exclamou confiante:
      Pai, nas tuas mãos entrego o meu esrito... (Lucas 23. 46) E havendo dito isto - expirou. 
       Conclusão: Jesus esclareceu que a condição da ressurreição estaria vinculada ao bem que se faz na existência humana: "os que fizeram o bem sairão para a ressurreição  da vida; e os que fizeram o mal para a ressurreição da condenação" (João 5. 29)

                              relato bíblico
                                    João 5. 21

Voz
Q
Clama
Intensivo Difusão Espiritualidade Evangélica – IDE





Nenhum comentário:

Postar um comentário