terça-feira, 30 de setembro de 2014

PRECONCEITOS




“Não julgueis para não serdes julgados...”


Os ensinamentos de Jesus com o passar dos séculos ficam cada vez mais modernos para a boa convivência social.

E quem busca com perseverança esses ensinamentos certamente vai andar na luz do bem, na civilidade pacífica consciente de que aquilo que se planta no planeta Terra, certamente colhe-se o crescimento na vida espiritual que, reserva os verdadeiros destinos de felicidade perene à consciência espiritual.

Alguém certamente pensará que estes conceitos surgiram com os progressos da civilização moderna, no entanto são bem antigos, muitos estão publicados na boa nova de Jesus, às gerações futuras: Não emitir conceitos negativos, e nem levianos com relação a ninguém pelo lado das aparências pessoais; não formar frequentemente pensamentos malévolos das pessoas; não censurar desprezando as culturas populares (Mateus 5. 22 / Mateus 5. 37-39 / Mateus 7. 1-5 / Lucas 9. 53-56).
      O cristão não foi chamado para edificação do bem com o fim de arbitrar com mau juízo. E sim, para amar, iluminar, consolar, esclarecer, conscientizar as pessoas no paradigma do seu Mestre: “amor ao próximo como a si mesmo”.
   E quem vivencia a fraternidade com o próximo, tem consideração salutar e busca conservar as relações amigáveis, e até mesmo ora abençoando os relacionamentos contraditórios; pois a boa convivência é a chave de nosso engrandecimento maior com vistas ao nosso desenvolvimento para o reino espiritual.

A mensagem de Jesus visa o alvo benéfico de educar o “eu interior”, e demonstra que vivemos num universo de ação e reação, onde existe o efeito da compensação, isto é, “com o mau juízo que fazemos das pessoas poderemos também ser mal analisados por outrem”.
    A maneira ideal é trabalharmos a nossa imunização nos contatos sociais evitando discussões intransigentes, estando sempre com os olhos bem abertos para vermos com exatidão as coisas no adequado critério de caridade cristã e também para não nos vincular, como disse Jesus: nos laços de hostilidades com o nosso irmão em humanidade (Mateus 5. 25-26)

Portanto, tudo que quereis que os outros vos façam, fazei também vós a essas pessoas (Mateus 7. 12) - é um conselho salutar de Jesus. Eis a regra do bem viver: se queremos a paz social, então vamos articular a paz e realizar sempre o bem comum.
     As boas atitudes é a nossa escolha melhor, a humanidade é o nosso campo de ação e reação constante para o desenvolvimento espiritual com objetivo de alcançarmos a felicidade maior para o infinito.

                          relato bíblico
                         Mateus 7. 1-12

Voz
Q
Clama
Intensivo Difusão Espiritualidade Evangélica – IDE








Nenhum comentário:

Postar um comentário