sábado, 19 de novembro de 2016

REENCARNAÇÃO, lei da Natureza cósmica




     
        Algumas reflexões positivas para discernimos o raciocínio lógico de causa e efeito que rege a programação da Vida com justiça, sabedoria e amor.
         - Crês em Deus? Ser Supremo que reina sobre toda a Natureza cósmica: material e imaterial, visível e invisível? 
          -  Acreditas que no interior do ser humano exista uma essência indivisível, que denominamos de alma ou espírito? E comanda todos os sentidos e sentimentos, e que sobrevive para além do falecimento dos órgãos físicos?
            Ou, admites que a Vida seja apenas um impulso acidental de forças geradoras, destituídas de racionalidade e organização?
             - Concordas que as leis da Natureza instituídas pelo Criador da Vida, que regem a existência inteligente dos seres criados são perfeitas? Expressam Justiça com equidade? Revelam Sabedoria equilibrada com Amor? E são inteligentes e extremamente progressistas? 
         Ou, toda essa Providência inexiste? E tudo seria apenas um mero jogo fortuito de energias do acaso? No qual os seres nascem, crescem, se desenvolvem tal qual um fruto que brota num caule de uma planta qualquer, e depois morrem sem nenhuma ascendência de causa racional que tenha programado racionalmente a existência desses seres inteligentes.
     - A que ordem subordinar as causas das desigualdades intelectuais e morais dos seres humanos, durante o transcorrer das eras terrestres?
       - E como entender os contrastes individuais da personalidade: O amor e o ódio? O bem e o mal? O saber e a ignorância? O instinto selvagem e a espiritualidade angelical? O pecado e a santidade? O vício e a virtude? A saúde e a enfermidade desde o berço? 
              -  Qual a causa lógica da origem dessa era que designou a existência de povos embrutecidos no conhecimento? E, em virtude do seu pouco desenvolvimento racional, viviam em extrema ignorância intelectual. A Ciência comprova as suas existências primitivas no período paleolítico, analisadas na pré-história terrestre e denominadas como: “povos das cavernas”. 
             -  Para onde foram, após a morte física, aquelas almas que encarnaram naqueles corpos e que vivenciaram a fase das cavernas? Qual a destinação, que finalidade alcançou suas consciências, após aquela experiência primitivamente rude? Sucumbiram no caos da inconsciência total? Ou, continuaram progredindo em novas etapas de programação existencial?
            - Sem a compreensão racional da reencarnação teríamos que admitir a força cega do acaso dirigindo os destinos dos povos humanos. E então civilização moderna, que se beneficia de altos valores tecnológicos e leis civis cada vez mais humanizadas do que as civilizações primitivas estariam desfrutando de privilégios na ordem da Criação? Principio que seria inaceitável com a mais leve noção de Justiça perfectível em Deus. Tudo, enfim, teria se desenvolvido sem nenhuma Providencia organizadora que orientasse os seus destinos? 
    - No entanto, sob a lei natural da reencarnação, como seja das vidas sucessivas, esses povos selvagens revestidos de matéria física e que vivenciaram experiências em eras remotas, acima de qualquer definição - são seres; almas que estão sendo criadas com um objetivo divino: o desenvolvimento da inteligência no aspecto intelectual e moral. Existiram povos das cavernas? Sim; porque essas almas eram pouco desenvolvidas e nasciam nos meios ambientais propícios aos seus adiantamentos, até desabrochar em suas consciências os princípios da civilização. Na verdade, todos nós, coletivamente, é que habitamos nesses corpos das eras das cavernas, em corpos selvagens, em corpos do período da barbárie, em corpos dos tempos medievais, em corpos da era colonial... 
    Hoje, atualmente, de novo nossas almas foram submetidas pela Providência do Criador à lei natural do renascimento/reencarnação para reviver outras experiências mais civilizadas com o objetivo superior de alcançar a espiritualidade angelical nos sentidos intelectual, moral e aperfeiçoamento para o plano divino. 
           E qual a razão de ainda existirem na Terra almas selvagens, e semi-civilizadas? Existem pelo fato de que Deus, o Criador, jamais deixou de criar e recriar seres.
        - Sob a luz educadora da reencarnação da alma, no cenário da existência terrestre, abre-se perspectiva grandiosa de oferecer aos seres diversas fases de aprendizado ou provas, com a finalidade das criaturas alcançarem a perfeição, que os dirige com justiça, sabedoria e amor para o plano divino. Nesta grandeza, o que representaria 100 anos de provas no mundo terrestre em se comparando com a glória da vida eterna? Sem o elo da reencarnação isto é, das vidas sucessivas que o ser espiritual atravessa nos Mundos materiais com o objetivo de conseguir o aperfeiçoamento mental para a Vida celestial, jamais compreenderíamos a Justiça Divina que governa os Céus, com sabedoria e onipotência.
     Nestes raciocínios lógicos estudamos a reencarnação sob os aspectos da filosofia, da ciência, da justiça, da religião, e da revelação à luz e racionalidade dos ensinamentos na Bíblia sagrada.
Reencarnação na Bíblia 
Abrahão Ribeiro
Voz Q Clama
Intensivo Difusão Espiritualidade Evangélica – I D E
    Voz do Espírito





Nenhum comentário:

Postar um comentário