segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

PERDOADO OS TEUS PECADOS




E Jesus conhecendo os seus pensamentos, redarguiu: Por que pensais maus em vossos corações? Pois qual é mais fácil dizer? Perdoados te são os teus pecados, ou afirmar: Levanta-te e anda?  (Lucas 5. 17-26) (Mateus 9. 1-8)

Essa cura do paralitico por Jesus, diante da multidão que o observava com expectativa foi extraordinária.

Jesus ensinando os mistérios da vida espiritual, cercado pela multidão que encheu aquela casa naquele momento...
     de um lado pessoas ansiosas e sofredoras buscando esclarecimento e consolo para as suas dores; de outro: grupos de religiosos conservadores do Antigo Testamento questionando a obra missionária de Jesus para acusá-lo de impostor.

De repente um reboliço no meio da multidão, pois alguns homens subiram pelo telhado da casa transportando um paralitico, e destelharam a casa, e desceram o paralitico amarrado na sua maca por essa abertura bem no meio da multidão, no exato local onde estava Jesus no interior daquele recinto.

Todos ficaram surpresos com a astúcia das pessoas que transportavam o paralítico, até Jesus louvou o esforço daqueles homens e falou amigavelmente ao paralitico: “os teus pecados te são perdoados”.

Depois dessas palavras animadoras de Jesus ao paralítico, ouviu-se "sussurros" no meio da platéia, e o Mestre  percebeu os comentários negativos das pessoas zombadoras naquela ocasião, e dirigindo-se a essas pessoas fez o seguinte desafio: o que é mais fácil dizer a este paralitico? Perdoados são os teus pecados? Ou, restabelecer a força vital do mesmo, curando-o de sua enfermidade, imediatamente?

     E concluiu Jesus o seu desafio perante os seus questionadores: “para que saibais que Tenho autoridade instituída por Deus, no planeta Terra, para perdoar pecados”, e pegando na mão do paralitico, lhe ordenou com vigor: levanta-te e anda”. Foi um verdadeiro suspiro de alegria de todos os assistentes que ecoou como um aplauso pela boa ação, quando viram o paralítico levantar-se, tomar a sua maca e andar normalmente.

Jesus curou aquele paralítico pela energia superior transferida do seu amor renovador ao homem deficiente, por isso que as primeiras palavras que ele dirigiu foram de estímulos para abrir os potenciais adormecidos, no eu interior do sofredor: "os teus pecados te são perdoados..."  

Todo bem, toda boa dádiva e todo dom perfeito vem do alto descendo do Pai das Luzes (Tiago 1. 17). Deus é suprema inteligência que cria, move, e sustenta todas as energias que estruturam e beneficiam o Universo.

Quando tivermos dúvida da presença de Deus na Natureza, é somente meditarmos na grandeza do Sol que irradia a luz solar que fecunda a vida física em nosso orbe. O sol funciona como uma célula de Deus na galáxia, a luz solar é a fonte energética que passa por várias combinações cósmicas saturando de vida todas as coisas na Terra.
       Assim também é a luz espiritual do Criador, no qual Jesus, para a humanidade terráquea, é a Mente celeste filiada ao Pai Criador, e onde por sua vontade poderosa sobre os fluidos regeneradores da Natureza espiritual atrai sobre si mesmo a energia divina que verte do plano celestial pelos Anjos do Senhor que o auxiliavam de outra dimensão, e que era invisível ao demais seres humanos presentes.
     E concentrando assim a ação fluídica salutar sobre o perispírito enfermo do paralitico restabeleceu imediatamente o seu equilíbrio, que se transmutou para o corpo carnal, que é modelado pelo perispírito, assim se efetua “a cura divina”. Somente os Espíritos de ordem superior celeste, sob a vontade do Pai Celestial, detém o poder nas leis da Natureza para realizar a cura divinal instantânea, nas pessoas sofredoras.

Hoje sabemos com a revelação dos Espíritos superiores, na codificação iniciada por Allan Kardec, que as inibições intelectuais que bloqueiam a manifestação física do ser em um corpo carnal, são consequências de pecados “carmas” contraídos na vida carnal recente, ou numa anterior onde o ser pela lei natural da reencarnação passa pelo esquecimento benéfico e temporal para ajudá-lo a reabilitar-se nas provações regeneradoras.

Somos espíritos imortais vivendo temporariamente experiências físicas no mundo carnal terrestre com objetivo de despertamento e desenvolvimento da consciência espiritual para a vida superior nos planos celestes, que é onde reina a verdadeira felicidade. E numa certa fase em nossas existências materiais pelas ações danosas a nós mesmos e às pessoas que nos cercam, podemos contrair bloqueios temporários nos centros de forças do nosso corpo espiritual, que repassa ao corpo físico essas inibições em formas de desajustes, deficiências, enfermidades... Mas, que no íntimo, as dores também têm uma atividade benéfica, porque funciona como o serviço de regeneração na tessitura da alma reequilibrando uma purificação na consciência, impulsionando assim valores intelectuais de recolhimento e meditação salutar para o ser, que deve aproveitar essas provações como fonte de bênçãos divinas.


relato bíblico

Lucas 5. 17-26

Voz
Q
Clama
Intensivo Difusão Espiritualidade Evangélica – IDE







Nenhum comentário:

Postar um comentário