domingo, 25 de março de 2012

VIBRAÇÕES À DISTÂNCIA - Além do Plano Carnal




  É possível a nossa mente perceber vibrações à distância de alguém que estar em aflição? 

 Existem muitas maneiras de nos comunicarmos com as pessoas: um gesto de cabeça, um sorriso, um aceno de mão, uma palavra amiga, até mesmo pelo pensamento os seres humanos se intercomunicam. 
     Vivemos num universo em que ondas, raios, vibrações, energias se influenciam mutuamente.
   Às vezes as mudanças súbitas de estado emocional, sem motivo aparente, tem conseqüências nessas percepções sutis que mudam o nosso astral (humor).

   Devemos vigiar as criações que se concentram em nossa casa mental, combatendo os pensamentos formas vazios de utilidade e que sugestionam o pessimismo, o desânimo, a tristeza, a depressão e buscando renovar tudo isso com ideias saudáveis, positivas e harmonizadas no bem. 
       Mais vale uma criação mental edificante que fortalece o nosso ânimo para o bem saudável, que mil sugestões inúteis que nos deixem à mercê do sofrimento.

     Sugerindo o poder mental para o belo, para a harmonia do divino, ensinou o Senhor das nossas vidas: "a fé salva a criatura". A fé que tem o poder de transformar vidas para o celestial, é a fé espiritual. - Alguém certamente poderá interpelar: ah! mas toda fé não é espiritual, e não desperta o espírito para a interação invisível com o Criador? Não; existe também a fé simplesmente mesclada pelos interesses humanos - a fé sem obras de interação com Deus; a fé fanatizada; a fé interesseira em valores econômicos e materiais.
    Até ficava um pouco relutante com essa pessoa; íntimo muito ligado à minha família, sabedor dos meus ideais de espiritualidade e ainda me questionava com obstinação sobre os princípios básicos da fé: essência divina na criação, imortalidade da alma, reencarnação, diversidade de planos astrais habitados. No entanto, mesmo assim fazia questão de auto-afirmar-se que era convictamente materialista, ou seja: descrente na existência espiritual.
   O que homem tenta desconhecer é que mesmo a existência da matéria, que é palpável; e se existe somente isso como base universal da vida, alguma força maior a formou. E essa força, naturalmente, é movida por algum Ente Superior à razão humana. Por isso é está certo o ditado popular: não existe materialista, ou ateu à beira da morte, a criatura muda completamente as suas convicções – quando dá tempo.
  Sentia que estava amanhecendo o dia, mais ou menos 04:30 hrs; pois percebia as aves cantarolando o raiar da aurora.
    E eu acomodado nos lençóis da cama tentava ainda desfrutar daquela sonolência deliciosa no final da madrugada, estou quase adormecendo, quando de repente sou sobressaltado por uma energia arrebatadora: sentia-me partindo para o além, isso mesmo morrendo fisicamente. 

     Busco me prender ao corpo carnal, porém algo parecia se romper dentro de mim e que a minha vida material esvai-se bruscamente comprimindo as minhas idéias num caos inexplicável, eram como se pesados paredões invisíveis esmagassem o meu ser.


 As agonias do medo, da incerteza assombravam o meu raciocínio - um aperto cruciante no coração! 

     Tento concentrar meus pensamentos em alguma força interior - a fé; pedir socorro a familiares; coordenar o entendimento de tempo e espaço naquela situação aflitiva; porém mais o esgotamento obscurecia a minha razão sugando a minha existência física... Meu Deus será pra onde? Então caiu a sugestão em minha mente: DEUS!!! Sim, isso mesmo Deus existe, Deus é real.  



        Segura nas mãos de Deus e atravessarás o vale da sombra da morte em paz.  (A minha própria consciência vigilante alerta para a segurança maior em Deus, conforme o Salmo 23.  4)  


        Reflexões surgem em meu inconsciente me sugestionando buscar naquela agonia terrível o amparo salvador do Mestre Jesus. Não apenas pedi em pensamento, mas invoquei a sua presença celeste. 

      Fazendo um esforço interior, concentro a minha força mental e começo a orar em pensamento e coração à Fonte Universal da Vida; e aí fui pronunciando mentalmente e buscando imprimir vigor às idéias, sentindo amor em cada frase ensinada na oração; percebi que não recitava a prece decorativamente; mas, a declamava com energia intelectual do  âmago do ser, sentindo poder em sua vibração; e que essa prece é uma interação em todo Universo com própria Vida, que flui infinitamente de Deus:

  Pai Nosso que estás nos Céus... de todos os mundos, de todas as galáxias, de todo Cosmo.

 Abençoado seja o Teu nome para sempre!

  Venha a nós o Teu reino de amor e paz, assim na Terra, como nos Altos Planos da vida celeste a Tua vontade é vivenciada por todos os Teus filhos maiores consagrados no reino do bem.

  O pão nosso de cada dia nos dá hoje: o pão da carne e do espírito;

  E perdoa-nos as nossas imperfeições, assim como nós perdoamos os nossos ofensores. Pois para estarmos em paz de consciência com as Leis naturais que regem a Vida... Temos que estar em harmonia com as pessoas de nossa convivência.
    E não nos deixes sucumbir nos círculos viciosos das tentações do dia a dia; mas livra-nos do mal; porque Teu é o reino, é o poder, e a glória da vida infinita para sempre. Amém!

 Algo mudou dentro de mim, senti que alguma energia desprendeu-se integralmente em meu ser, e percebo fluxos de intensa luz irradiando do alto,

   parecia que todo ambiente se desmaterializava, agora aquela luminosidade me banhava com seus raios de amor e me suavizavam; sinto-me chorando como uma criança que está nascendo; estava tendo a certeza da vida imortalizada em todos os planos da criação infinita – a consolação irradiava em minh’alma vacilante. 
  Finalmente surgem em minha mente reflexões de agradecimento à Vida, ao seu Criador – DEUS.  
    Nesse momento desfez-se aquele transe sugestivo e desperto integralmente no corpo físico, esfrego os olhos; respiro fundo; até me belisco para saber se não estava tresvariando. Alongo-me na cama e procuro racionalizar o motivo daquela visualização com tanta expressividade em imagens mentais, levanto da cama e vou para o banheiro lavar o rosto e escovar os dentes, uma hora depois.
  Estou ainda no banheiro lavando o rosto, meio sonolento, quando toca com insistência o telefone da minha casa e vou atender...
   E sou surpreendido por uma noticia constrangedora, onde uma pessoa do outro lado da linha comunica com aflição o falecimento de um familiar querido (abstenho aqui, por caridade, de notificar o seu nome).
   A causa da morte tinha sido uma parada cardíaca fulminante, mais ou menos uma hora atrás, às 05 hs da manhã.

     Oh! Quão imensurável é o amor do Criador da Vida! Pois anos depois do falecimento na vida carnal desse ilustre companheiro, Deus me permitiu através de sonho lúcido tornar a visualizar a sua alma a fim de colher informações sobre o seu estado na vida espiritual.
      Grande foi a minha surpresa em poder examinar que o mesmo havia melhorado sensivelmente o seu perfil psicossoma, agora mais rejuvenescido e feliz na nova existência.

    E assim compreendi mais um ensinamento do Cristo na sua boa nova de espiritualidade: "Deus, o Criador, não é Deus de mortos; mas, dos vivos da Terra, quanto do Além infinito" -  vide Evangelho de Lucas 20. 38
    

Além do Plano Carnal 
Abrahão Ribeiro
Voz Q Clama
Intensivo Difusão Espiritualidade Evangélica – I D E
    Voz do Espírito





Nenhum comentário:

Postar um comentário